A marca própria e os seus aspectos negociais: um estudo de caso

Edivaldo Fernandes dos Santos Junior, Andréa Paula Osório Duque, Manoel Marcondes Machado Neto

Resumo


Atualmente, as marcas comerciais surgem como atributos de diferenciação e de vantagem competitiva, criando valor para as empresas de varejo. Neste sentido, elas geralmente têm seus produtos associados a preços mais acessíveis, possibilitando a incorporação de um nicho de mercado ao negócio de supermercados e redes de lojas, além de gerar maior rentabilidade. Este estudo se propôs a examinar os aspectos relacionados à origem e ao fortalecimento de uma marca própria por meio de um estudo de caso. O objetivo geral consiste em investigar o desenvolvimento de uma marca própria em uma empresa de produtos naturais. A metodologia adotada é a da pesquisa descritiva, com dados qualitativos obtidos a partir de um estudo de caso único. A coleta de dados foi efetivada via entrevista com o diretor-executivo e a gerente de desenvolvimento de produtos de uma empresa do ramo de alimentos saudáveis. Os resultados demonstram, principalmente, que o desenvolvimento da marca própria pesquisada requereu análise criteriosa dos hábitos dos consumidores; determinação dos objetivos estratégicos; diferenciação competitiva por meio de escolha precisa de fornecedores; investimento maciço em marketing; além de diversificação dos veículos de comunicação.

Palavras-chave: Marca. Marca Própria. Brand. Branding.

The private label and its negotiation aspects: a case study

Abstract

Nowadays, trademarks appear as differentiating attributes and competitive advantage, creating value for retail companies. In this way, private labels usually have their products associated with more affordable prices, enabling the incorporation of market niches to supermarkets and chain stores, in addition to higher profitability. This study aimed to examine the issues related to the origin and strengthening of a private label through a case study. The overall objective is to investigate the development of a private label in a company of natural products. The methodology adopted is this study can be classified as an applied research, descriptive and qualitative data obtained through a case study approach. Data collection for the completion of the case study approach was carried out by an interview with the executive director and the product development manager. The results show mainly that the development of a private label required careful analysis of consumers’ habits; determination of strategic objectives; competitive differentiation through careful selection of suppliers; massive investment in marketing and media diversification.

Keywords: Brand. Branding. Private Label.

Palavras-chave


Marca. Marca Própria. Brand. Branding.

Texto completo:

PDF

Referências


AAKER, D. A. Building strong brands. New York: Free Press, 1996.

ABMAPRO. Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização. ABMAPRO, São Paulo, s.d. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

ACNIELSEN. Marcas próprias. 10º estudo anual. ACNIELSEN, 2005. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2016.

______. Marcas próprias. 18º estudo anual. ACNIELSEN, 2013. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2016.

BERMAN, B. Marketing channels. New York: John Wiley & Sons, 1996.

BRASIL. Lei n° 8.955, de 15 de dezembro de 1994. Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising) e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 dez. 1994.

CONN, C. Innovation in private-label branding, Design Management Review, v. 16, n. 2, p. 55-72, abr. 2005.

DATTA, P. The determinants of brand loyalty. Journal of American Academy of Business, Cambridge, Reino Unido, v. 3, n. 1/2, p. 138-144, set. 2003.

DHAR, S. K. et al. Effective category management depends on the role of the category, Journal of Retailing, v. 77, n. 2, p. 165-184, jun. 2001.

GARRETSON, J. A. et al. Antecedents of private label attitude and national brand promotion attitude: similarities and differences, Journal of Retailing, v. 78, p. 91-99, jun. 2002.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GRÖNROOS, C. Marketing: gerenciamento e serviços. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

HENDRIKSEN, E. S.; VAN BREDA, M. F. Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999.

KAYO, E. K. et al. Ativos intangíveis, ciclo de vida e criação de valor, Revista de Administração Contemporânea (RAC), v. 10, n. 3, p. 73-90, jul./set. 2006.

KELLER, K. Conceptualizing, measuring, and managing customer-based brand equity, Journal of Marketing, v. 57, n. 1, p. 1-22, jan. 1993.

______; MACHADO, M. Gestão estratégica de marcas. São Paulo: Pearson, 2005.

______. As marcas, capital da empresa: criar e desenvolver marcas fortes. Porto Alegre: Bookman, 2003.

KOTLER, P. Administração de marketing. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1996.

______; KELLER, K.. Administração de marketing. 12 ed. São Paulo: Pearson-Prentice Hall, 2006.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento científico: pesquisa qualitativa em saúde. 2 ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 1993.

NICKELS, W.; WOOD, M. Marketing: relacionamentos, qualidade, valor. Rio de Janeiro: LTC Editora S. A., 1999.

NIELSEN. The Nielsen Company. NIELSEN, s.d. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2016.

NUNES, B. S. et al. A produção de sentido da experiência de marca com base em estratégias organizacionais da lógica dominante de serviços: experiências da marca Heineken. Animus. Revista Interamericana de Comunicação Midiática, v. 15, n. 29, p. 319-346, jul. 2016.

OLIVER, C. M. Fatores propulsores e restritivos ao fornecimento de marcas próprias para supermercados. 2000. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

PINHO, J. B. O Poder das marcas. São Paulo: Summus, 1996.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia da pesquisa aplicável às Ciências Sociais. In: BEUREN, Ilse Maria. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: Teoria e Prática. São Paulo: Atlas, 2003.

RIES, A.; TROUT, J. Positioning: the battle for your mind. London: McGraw-Hill, 1986.

ROSLENDER, R.; HART, S. J. Interfunctional cooperation in progressing accounting for brands: the case for brand management accounting, Journal of Accounting & Organizational Change, v. 2, p. 229-247, set. 2006.

SALVADOR, A. B.; STREHLAU, V. I.; IKEDA, A. A. Crise local de marca global e o uso de monitoramento de redes sociais. REMark, v. 14, n. 4, p. 438-450, out./dez. 2015.

SAMPAIO, R. Marcas de A a Z: como construir e manter marcas de sucesso, um guia para fazer da sua marca a principal força do seu negócio. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

SEETHARAMAN, A.; NADZIR, Z. A. B. M.; GUNALAN, S. A conceptual study on brand valuation, The Journal of Product and Brand Management, v. 10, n. 4, p. 243-256, jul. 2001.

SILVA, L. A.; MERLO, E. M.; NAGANO, M. S. Uma análise dos principais elementos influenciadores da tomada de decisão de compra de produtos de marca própria de supermercados, REAd, Porto Alegre, 7 ed., n. 1, p. 97-129, jan./abr. 2012.

SOUZA, M.; NEMER, A. Marca e distribuição. São Paulo: Makron Books, 1993.

TELLES, R.; Siqueira, J. P. L.; HOURNEAUX JUNIOR, F. Os impactos da estratégia de marcas próprias na relação entre fabricantes e varejo: um estudo em empresas de grande porte, ReA UFSM - Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 5, n. 3, p. 439-458, set./dez. 2012.

WOOD, L. Brands and brand equity: definition and management, Management Decision, v. 38, n. 9, p. 662-669, nov. 2000.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/rcd.v8i16.3353

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index